Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

E se fosse desta?

11.10.14publicado por Gato Pardo

Hoje, uma amiga e eu falávamos daquilo que provavelmente ocupava a mente de muito boa gente.

"O que farias se ganhasses o Euromilhões?"

Ok. Será que o dinheiro mudava assim tanto as coisas? Não vale a pena negar que do ponto de vista financeiro, iria permitir um desafogo eterno. Afinal de contas, 128 milhões não são trocos para um café e um maço de cigarros. Mas e o resto?

Muda a postura de uma pessoa perante a vida? A forma como nos relacionamos?

Se eu fosse o feliz contemplado sei exactamente o que faria. A primeira coisa seria ir comer um bife e beber uma jola à Portugália. Simplesmente porque gosto e porque tenho saudades de comer um bom bife. Basicamente.

 E o resto?

Mudava de carro? Não. Mas arranjava o maldito do kit mãos livres que me dá cabo da mona.

Abdicava de trabalhar? Não. Gosto demasiado do que faço para abdicar de algo que me dá tanto prazer.

Comprava a casa dos meus sonhos? Talvez. Não é a mansão de 27 assoalhadas pela qual talvez tanta gente suspire mas é o meu conceito de sonho. São 3 assoalhadas, tem um alpendre, um imenso areal a perder de vista pela janela e aquele intenso aroma a maresia que só quem o aprecia sabe dar o devido valor. E existe. Fica em território nacional. Namoro-a vai para 10 anos. É um amor eterno.

E que mais?

Provavelmente tornava-me accionista da Nespresso. Só para chatear. Ok, esta foi só mesmo para brincar.

Mas mais importante que tudo o mencionado acima (inclusive o bife e a jola na Portugália) , seria providenciar que as pessoas que me são verdadeiramente importantes não passariam mais um dia das suas vidas a sobreviver. Gostaria de lhes proporcionar a oportunidade de viver. Oferecer aquela viagem que nunca tiveram oportunidade de fazer. Porque ou era isso ou colocar comida na mesa. Proporcionar a melhor formação pessoal e profissional possível para que possam ser tudo aquilo que desejam e possam ser (embora como irmã de quem é, não posso esperar milagres...).

Há quem diga que nunca somos verdadeiramente ricos até ao dia em que teremos o privilégio de possuir algo que o dinheiro não pode comprar. Não deixa de ser verdade. Perdi muita da minha riqueza ao longo deste ano de 2014. Pessoas. Animais que estimava mais que muitas pessoas. Senti-me vazio como poucas vezes me senti na minha vida.

Ainda não foi desta. Mas curiosamente, não me sinto menos rico do que o habitual. Não posso proporcionar tudo aquilo que gostaria a quem me é importante mas dou o melhor de mim.

E essa é a maior riqueza que possuo.